Infecção por Staphylococcus aureus em roedores

O Staphylococcus aureus é uma bactéria aeróbia, não formadora de esporos, catalase e Gram +. Normalmente habita a pele, o trato respiratório superior, e o trato digestivo inferior.

164

A bactéria pode disseminar-se por contato direto entre animais e homem ou alimento, fezes, caixas e cama contaminados. A bactéria é primariamente associada ao homem, mas infecções ocorrem em grande variedade de outros mamíferos.

Infecções nasais subclínicas são freqüentes em cobaios e primatas, menos freqüentes em coelhos e cães e raras em roedores.

Como sinais clínicos temos a morte repentina por septicemia, pneumonia ou toxemia incluindo a febre, anorexia, depressão e morte, dermatite úmida, edema nas patas, aumento de volume cutâneo e das glândulas mamárias, lesões na pele pruriginosas levando a automutilação, abscesos, pododermatite ulcerativa, amiloidose sistêmica do cobaia, dermatite nasal ou facial do gerbil, e dermatite ulcerativa em ratos.

165

Segundo WALLACH & BOEVER, os principais sinais clínicos são depressão, dispnéia, linfadenite, emaciação, e abscessos fistulados, principalmente ao redor da cabeça e na base das orelhas.

 

Referências

  1. HARKNESS, JOHN. Biologia e Clínica de Coelhos e Roedores. Roca, 3ª edição, 1993. 238 p.
  2. WALLACH, J.; BOEVER, W. Diseases of Exotic AnimalsMedical and Surgical Manegement. W. B. Saunders, Philadelphia, 1983.
  3. BAKER, DAVID. Natural Pathogens of Laboratory Mice, Rats, and Rabbits and Their Effects on Research. American Society for Microbiology, 1998. p. 241-242.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *