Arquivo da categoria: Artigos

Artigos

Quando levar meu animal ao médico veterinário?

Para nós médicos veterinários a resposta esta na ponta da língua, mas para muitos proprietários o assunto se torna um dilema.

As aves “fingem” estar bem, isso devido a evolução. Se imagine como uma ave doente em grupo de 10 aves hígidas. Chega um gavião bem perto do grupo avaliando o indivíduo (você) menos apto à fuga. Então você, mesmo muito doente, fica firme e forte no galho “fingindo” estar bem, entendeu? Se o gavião percebesse que era fraca, seria devorado. Lembre desta dica: se há alteração de comportamento, deve levá-la ao doctor!

amaz

Os répteis são mais tranquilos, ficam ali só de boa, então a melhor forma para você avaliar sua condição,  é se comem ou não. Os médicos veterinários especializados, conhecem as espécies e realizam exames específicos, chegando a conclusão diagnóstica.

ig

Nossos pequenos roedores ficam em suas gaiolas, e poucos são manuseados diariamente. Quando você percebe que ele está muito quietinho, poderá ser tarde ;-(. Observe diariamente se comeram, beberam, se as fezes e urina estão normais, em caso de alteração, consulta!

Com os coelhos é mais fácil, pois geralmente são criados como cães, e realmente são inteligentes e ótimos animais de estimação. Observe também as fezes, urina e se comeram ou não 😉

Os ferrets muitas vezes são encontrados prostrados. Neste caso é fácil verificar que se trata de uma urgência ou emergência, mas o emagrecimento crônico, perda dos movimentos, alterações na pelagem, são sinais de doença. Não espere que a natureza o cure, leve-o ao médico veterinário, para que um diagnóstico seja obtido e tratamento instituído.

ferr

 

Animal Exótico, diminuindo as fronteiras entre homens e animais!

Paresia / paralisia de membros posteriores em lagomorfos (coelhos)

Sempre atendo casos em que o cliente refere certa dificuldade locomotora em seu coelho. Em minha casuística percebo que os membros posteriores ocupam local de destaque. Citarei de forma breve as prováveis alterações e seus agentes causadores.

coelho-srd

Os mais comuns são as fraturas ou luxações vertebrais. Geralmente a vértebra mais acometida é a L7 (lombar). Esta injúria decorre de uma manipulação inadequada do animal, mas pode também ser por uma agitação brusca ou briga dentro da gaiola. Os coelhos são providos com musculatura dos membros posteriores potente. Qualquer movimento brusco em que o animal ´´rotacione“ sobre a junção lombosacral, pode causar um dano vertebral. Além de apresentar paraplegia, alguns sinais neurológicos podem ser observados como perda da sensibilidade da pele, perda do controle motor sobre a bexiga e esfíncter anal, sendo que estes outros sinais clínicos são dependentes da gravidade da lesão vertebral.

coelho-fisio

A suspeita clínica é confirmada radiograficamente. Continue lendo Paresia / paralisia de membros posteriores em lagomorfos (coelhos)

Poliomavírus

A morte súbita de aves com menos de 15 dias, é o principal sinal clínico. A transmissão ocorre por via inalatória. Em periquitos o vírus se replica nas penas, pele, fígado, baço, epitélio tubular renal, coração e cérebro.

periquito

Os animais começam a ficar virêmicos entre 7-10 dias. Caso a doença ocorra, os sinais aparecerão entre 10-14 dias. Os sinais clínicos se iniciam com até 100% de morte dos filhotes no ninho caso não exista nenhuma intervenção. Nas próximas estações de criação, as mortes irão declinar, mas continuarão com uma natalidade baixa. A infecção em papagaios adultos é de quase 99,9% sem sinais Continue lendo Poliomavírus

ESTUDO DE ACOMPANHAMENTO NA VENDA DE ANIMAIS LEGALIZADOS POR LOJA LEGALIZADA E ESPECIALIZADA EM ESPÉCIMES SILVESTRES (abril/2006)

O Brasil é um dos maiores exportadores de animais silvestres ilegais no mundo. A legalização de criadores comerciais vem ajudando em muito no combate a este tipo de contravenção. Se nós pensarmos que cada animal vendido legalmente é um animal a menos que teve de sair da floresta, já encontramos um ponto positivo importantíssimo para esta prática. Outros fatores importantes a serem lembrados são a arrecadação de impostos nas transações comerciais e a geração de empregos para tratadores, transportadores, biólogos, médicos veterinários, vendedores, industrias especializadas em artigos, rações, suplementos, etc.

jabuti

Com autorização do IBAMA, hoje podemos comprar animais legalizados como jibóias, teiús, iguanas, jabutis, tigres d´agua, sagüis, papagaios, araras, dentre outros tantos. Continue lendo ESTUDO DE ACOMPANHAMENTO NA VENDA DE ANIMAIS LEGALIZADOS POR LOJA LEGALIZADA E ESPECIALIZADA EM ESPÉCIMES SILVESTRES (abril/2006)

Reprodução nos répteis

Diante da quantidade de perguntas recebidas via internet, resolvi escrever um texto de compreensão simples, que tem por objetivo elucidar muitas das dúvidas mais comuns apresentadas diariamente.

.filhote-jacare

Os répteis são ovíparos ou vivíparos. No caso específico das serpentes há grande controversa sobre algumas espécies referente à denominação mais correta, pois antigamente também se utilizava o termo ovovivíparo, não mais utilizada na atualidade. Nos ovíparos (egg-laying) os animais realizam a postura de ovos, que após um certo período que varia de espécie para espécie, o filhote nasce ou sai do ovo. Na viviparidade (live-bearing) o filhote nasce após gestação, sendo uma miniatura do adulto, se assim posso dizer. Continue lendo Reprodução nos répteis