Arquivo da categoria: Répteis

Répteis

Terrários

Terrário é o local no qual o animal viverá, portanto, o mesmo deve aproximar-se o máximo possível do ambiente natural.

Os terrários devem ser montados fornecendo-se várias opções para os animais como: lâmpada de aquecimento, lâmpada que forneça raios ultravioletas, água limpa, substrato, pedras aquecidas, troncos ou galhos, vegetação natural ou artificial.

189

O cálculo do tamanho do terrário não é uma tarefa muito fácil, mas podemos utilizar as seguintes dicas: para serpentes, pode-se calcular o comprimento do terrário como sendo uma vez e meia o comprimento do animal. Répteis arborícolas e lagartixas exigem cativeiros mais altos e o comprimento deve dar, ao animal, condições plenas de deslocamento, como pequenas corridas e saltos. Cativeiros pequenos e comunitários necessitam de uma boa elaboração. Uma outra “ regrinha“ é a de que o animal ocupe uma área de 30% da área total do terrário. Abaixo citarei, de forma sucinta alguns tipos de terrários, lembrando que existem pequenas variações dependo da fonte pesquisada: Continue lendo Terrários

Zoonoses endoparasitárias de répteis

Nos últimos anos, a utilização de animais silvestres como animais de estimação cresceu consideravelmente, mas infelizmente, muitos desses animais têm pouca longevidade em cativeiro devido à falta de informações básicas relacionadas ao manejo. A ausência deste conhecimento indispensável à vida provoca queda de resistência nos animais, promove desequilíbrio orgânico e propicia o desencadeamento ou estabelecimento de doenças virais, bacterianas, nutricionais e principalmente zoonoses, as quais são patologias de animais vertebrados que podem ser transmitidas ao homem, como por exemplo, a raiva, a toxoplasmose, a leptospirose, entre outras .

185

A introdução de um animal silvestre ao ambiente doméstico e pode ocasionar um problema de saúde pública, caso não sejam adotadas medidas profiláticas . Continue lendo Zoonoses endoparasitárias de répteis

Prolapso de pênis, hemipênia, cólon e oviduto em répteis

Dentro da cloaca encontramos as aberturas para o cólon, os ureteres, a bexiga (se presente), e trato reprodutivo. Prolapso do ou dos ureteres não foi descrito em répteis, sendo que  prolapso de cólon, trato reprodutivo, e bexiga ocorrem.

O órgão copulatório do macho varia de acordo com a ordem do réptil. Alguns (lacertídios e ofídios) possuem um par de órgãos copulatórios chamados hemipênis, os quais estão situados numa posição invertida na cauda. Os quelônios possuem um único pênis, o qual é evertido durante a cópula

.175

O prolapso de pênis, hemipênis e ovidutos são achados frequentes em minhas consultas. As causas para estas condições são múltiplas mas não estão limitadas apenas aos meus exemplos. Continue lendo Prolapso de pênis, hemipênia, cólon e oviduto em répteis

Endoparasitos em répteis

Nos últimos anos, a utilização de animais silvestres como animais de estimação cresceu consideravelmente, mas infelizmente, muitos desses animais têm pouca longevidade em cativeiro devido à falta de informações básicas relacionadas ao manejo.

A ausência deste conhecimento indispensável à vida, provoca queda de resistência nos animais, promove desequilíbrio orgânico e propicia o desencadeamento ou estabelecimento de doenças virais, bacterianas, nutricionais, endoparasitárias, dentre outras. Caso estas informações não recebam atenção devida,  podem até levar o animal à óbito.

172

Os répteis são suscetíveis a uma grande variedade de endoparasitas. Os sinais clínicos de uma infecção parasitária são inespecíficos e incluem perda de peso progressiva, decréscimo nos níveis de atividade, vômitos, diarreia, e anorexia. Continue lendo Endoparasitos em répteis

Cuidados básicos com os répteis no inverno

Os répteis evoluíram de seus ancestrais anfíbios por volta de 250 milhões de anos atrás e são encontrados em todos os continentes exceto na Antártida.

Algumas espécies como Vipera berus e Lacerta vivipara podem ser encontradas inclusive ao extremo norte, perto do círculo Ártico. Quelônios e tuataras são os mais antigos répteis em vida, em torno de 200 milhões de anos, enquanto as serpentes são os mais recentes.

156

Estes animais possuem um metabolismo muito mais lento que o dos mamíferos de mesmo tamanho corporal. Continue lendo Cuidados básicos com os répteis no inverno