Arquivo da categoria: Roedores

Roedores

Camundongos

O camundongo, Mus musculus, é um roedor da família Muridae. Atualmente estão disseminados por todo o mundo, a partir de um presumível foco de origem na Ásia temperada, para regiões atualmente correspondentes à Turquia e China.

119

Os camundongos são geralmente brancos, mas existem outras variações de cores os quais são utilizados como pet. Um camundongo adulto pesa aproximadamente 30 g. São boas companhias para crianças acima de 10 anos de idade. Raramente mordem, mas podem escalar rapidamente, e por isso crianças muito pequenas não são capazes de manuseá-los. São tímidos, embora de comportamento social e territorial. O hábito alimentar caracteriza o camundongo como um animal onívoro. Apresentam tendência à fuga e necessitam apenas de uma caixa com pequeno espaço e poucas quantidades de alimento e água (por favor, não confundam isso com privação de água e alimento!). Continue lendo Camundongos

Alergias a animais de laboratório

As pessoas me perguntam muito sobre as doenças que os animais de estimação, no caso específico roedores e lagomorfos, podem nos transmitir. É claro que a resposta é um tanto quanto complicada, pois zoonoses (doenças que são transmitidas ao homem pelos animais) existem, mas não são muito mais graves do que aquelas transmitidas pelos cães e gatos. É de conhecimento popular que os animais domésticos (cães e gatos) podem transmitir ao homem a raiva, sarna, toxoplasmose, ectoparasitos, dentre outras.

No caso dos roedores e lagomorfos, este tema é desconhecido e um mito apavorador se forma diante destes animais tão simpáticos. Não quero aqui explicitar minha opinião favorável a este ou a aquele animal, mas a verdade deve ser dita para uma melhor compreensão dos problemas que poderão vir após a aquisição de um roedor ou lagomorfo de estimação. Como a maioria esmagadora dos colegas médicos veterinários não possui esta especialidade, tentarei discorrer sobre o tema da melhor forma possível e inteligível.

110

Abordarei de forma simplificada alguns agentes que possuem um potencial zoonótico e ao término da explanação, aprofundarei o estudo nas alergias que o homem possui aos animais de laboratório. A Cheyletiella parasitivorax (ácaro) pode raramente afetar o homem provocando uma dermatite especialmente em crianças. Continue lendo Alergias a animais de laboratório

Acaríases em coelhos e roedores

         

Os coelhos e roedores são comumente afetados por ácaros. Normalmente, estes ectoparasitas atuam em uma determinada espécie, mas podem também parasitar espécies semelhantes.

A maioria dos ácaros vive sobre a superfície da pele do hospedeiro e alimentam-se de descamações epiteliais e fluidos teciduais. No coelho, Psoroptes cuniculi localiza-se fundamentalmente no pavilhão auricular, enquanto a Cheyletiella parasitivorax é própria do pêlo desta espécie animal, assim como o Listroporus gibbus.  O ciclo de vida do P. cuniculi é de aproximadamente 21 dias.

108

Chirodiscoides caviae é um ácaro que fica aderido ao pêlo da cobaia (Porquinho-da-Índia), sendo que esta ainda pode ser acometida por Trixacarus caviae, um sarcoptídeo. O Demox aurati e o Demodex criceti parasitam os hamsters, enquanto que os meriones são acometidos por ácaros Demodex spNo camundongo frequentemente podemos observar Myobia musculi, Myocoptes musculinus e Radfordia affinis, que são parasitas do pêlo, enquanto Psorergates simplex, um ácaro folicular, é raramente observado.  No rato podemos encontrar Radfordia ensifera, que é um ácaro de mais difícil ocorrência. Outro ectoparasita que acomete roedores é Liponyssus bacoti, um ácaro dos ratos tropicais. Tem o hábito de alimentar-se no hospedeiro, mas vive em ninhos no meio ambiente.

Continue lendo Acaríases em coelhos e roedores